novembro 24, 2004

A dieldrina engorda?

Há já longas semanas que os maços de tabaco exibem mensagens inibidoras do género este-fruto-é-proibido. É talvez o único produto que faz publicidade negativa de si mesmo. A impossibilidade de retirar o tabaco de circulação (porque gera desemprego, envolve muito dinheiro, muitos viciados e teria de ser feito a nível mundial para evitar o contrabando) é o único produto à venda que faz manifestamente mal à saúde.
O mais conhecido dos claims é o "FUMAR MATA". Um passarinho contou-me ao ouvido que um istiano terá afixado na cantina do IST a seguinte mensagem: "a comida desta cantina MATA". A colagem ao claim anterior é óbvia e pretendia denunciar a manifesta falta de qualidade da comida.
Isto deu-me que pensar sobretudo agora que uma investigadora descobriu dieldrina no SG Ventil e no SG Filtro. Como se já não bastasse a mescla de 4000 substâncias que cada cilindro de nicotina contém.
Dias antes desta notícia uma cronista do DNa afirmava-se mulher e fumadora de SG Ventil, o que agora me faz rir da mesma crónica embora seja um pouco negro o humor que sinto em relação a isso.

E deu-me que pensar porque me lembrei do adágio "o que não mata, engorda". O adágio é imediatista e serve para quando comemos qualquer coisa que acabou de cair ao chão, por exemplo. Logo:

  1. Provamos qualquer coisa que desconfiamos estar estragada;
  2. não morremos;
  3. ficamos alimentados;
  4. engordamos!

Mas com o tabaco não é assim tão linear. O tabaco mata, mas a longo prazo. Se levassemos o adágio seriamente e à letra então como FUMAR MATA uma pessoa que tivesse fumado dois ou três maços por dia, numa semana teria engordado uns bons quilos.

(que grande lapalissada que esta posta me está a sair, mas enfim)

Exprimentem agora beber umas litradas de pesticida. Ou morrem ou então, com uma lavagem ao estomâgo, talvez se safem. Mas não engordam porque os pesticidas matam mesmo! Foram feitos para isso, para matar: "-cida" é um radical latino que significa "que mata" - é usado na formação de palavras denominadas de compostos eruditos como insecticida, berbicida, suicida e pesticida, entre outros.

Agora o Ministério da saúde quer saber se os lotes com dieldrina, que é uma substância proibida nos cigarros há trinta anos em Portugal, já foram fumados ou não. Se foram, ninguém morreu e portanto deve haver aí muita gente que, para além de fumar, tem um grave problema de obesidade...

E por escrever nisto, lembrei-me agora que a Creutzfeld-Jakob ou seja, a variante humana da famigerada Doença das Vacas Louca (BSE - Encefolapatia Espongiforme Bovina) e é suspeita de ter um período de incubação lento (isto não ser verdade), mais ou menos 20 anos, se bem me lembro. De modo que ainda estoua à espera para saber se aos 40 fico com o cérebro espongiforme ou... incrivelmente gordo!

2 Comments:

Blogger O Engenheiro said...

Eu posso afirma que a comida do IST não me matou mas já me deu muitas azias...

5:44 da tarde  
Blogger Rui Mira said...

LOLOL

Realmente esse passarinho não me é estranho...até acho que o conheço ;)

De facto a comida da cantina do IST é MUITO má mas isso também não se pode pedir melhor dada a relação preço/qualidade que cada vez mais é inversamente proporcional com a descida da segunda em prol do aumento da 1ª.

É a vida...saiam rápido do IST porque..."a comida da cantina MATA!"

8:57 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home